Como o backup auxilia a segurança?

A mudança em direção à nuvem, o crescimento de ameaças de ransomware e complexidades associadas ao gerenciamento de dados estão forçando os líderes de Infraestrutura e operações a rearquitetar sua infraestrutura de backup e explorar soluções alternativas para proteger os seus dados. 

Considerando-se que os Data Centers atuam como uma alavanca estratégica na aceleração dos negócios, descuidar de suas barreiras de segurança também significa a exposição a prejuízos incalculáveis.

Para garantir a proteção dos seus dados, as empresas devem investir tanto na capacidade de prevenir ameaças quanto de reagir contra elas. Afinal, se o malware atacar os backups, eles ficarão expostos à perda dos dados armazenados. 

Por outro lado, caso o seu sistema esteja bem protegido, mesmo que ele seja atacado por um malware ainda desconhecido, os dados serão preservados. Uma proteção de dados integrada e contínua evita até mesmo a menor das perdas de dados em aplicativos essenciais.

A importância da integração de sistemas de backup e anti-malware

Geralmente, as empresas utilizam um conjunto isolado de softwares para proteção anti-malware, backup e gerenciamento de correções que não funcionam de maneira unificada. Porém, essa abordagem se mostra complexa, trabalhosa, cara e ineficaz. 

Além disso, os produtos de proteção de endpoint tradicionais carecem de integração e demandam muito mais tempo para gerenciamento. Afinal, eles precisam de manutenção de licenças, instalação de patches e atualizações, verificação de compatibilidade e gerenciamento de políticas múltiplas usando uma variedade de interfaces de usuário diferentes. 

Em função disso, utilizar um conjunto complexo de soluções de endpoint que não “conversam” entre si, requer muito mais tempo para que os profissionais possam aprender a utilizar e dar suporte a essas ferramentas. O desafio, portanto, é eliminar a complexidade das soluções de segurança para aumentar a eficiência, poupar tempo e reduzir custos. 

Backup com segurança cibernética

Mas como o backup pode ajudar uma empresa a se recuperar de ataques de malwares, de modo a evitar a perda de dados e garantir a segurança das informações? Como a integração e a automação podem contribuir para proteger os sistemas e assegurar a sua recuperação? 

Uma plataforma de backup e ciberproteção integrada, como mencionado anteriormente, elimina a complexidade e aumenta a confiabilidade da segurança da informação. Por oferecer um conjunto completo de soluções, ela diminui o tempo necessário para implementar e manter as soluções necessárias, aumentando a produtividade e reduzindo custos operacionais. 

O backup corporativo é capaz de proteger arquivos (incluindo cópias locais) de alterações não autorizadas através de criptografia. Desse modo, ela defende os dados armazenados contra ataques e alterações. Caso o ransomware consiga passar pela defesa, o backup pode restaurar os arquivos instantaneamente para a versão mais recente. Durante o processo de recuperação, o backup integrado do anti-malware também verifica se há algum arquivo comprometido ou infectado.

Além disso, o backup é fundamental para a gestão de vulnerabilidades A atualização através de patches de segurança dos softwares é extremamente importante para sanar vulnerabilidades do sistema, evitando brechas que os cibercriminosos possam utilizar. 

A instalação dos patches deve ser feita o quanto antes para garantir que a brecha deixe de existir, porém, na pressa por disponibilizar correções, o fabricante pode cometer algum erro que, ao invés de auxiliar, prejudica o sistema. Já houve casos de patches da Microsoft, por exemplo, deixarem o sistema operacional totalmente indisponível. Nestes casos, o backup pode criar cópias automáticas do sistema antes de cada instalação, permitindo voltar ao original caso algo errado aconteça no processo.

Além da segurança: os riscos dos “desastres”

Além de ciberataques e infecções por ransomware, as empresas estão sempre sujeitas a outros problemas e acontecimentos indesejados, como roubo de máquinas, erros de hardware e software, incêndios, curto-circuito e até erros humanos, que podem desativar por completo os sistemas. Para enfrentar esses problemas, é importante contar não apenas com uma solução de backup, mas também de Disaster Recovery (DR).

Um plano de recuperação de desastres impede que incidentes interfiram na proteção dos dados e garante a continuidade das operações, mesmo depois de um evento crítico. Para isso, ele preserva as funcionalidades dos sistemas a partir de parâmetros de proteção definidos previamente, evitando prejuízos ou danos irreversíveis.

Mais do que evitar ataques ou corrigir inadequações técnicas, o plano de recuperação de desastres é capaz de recuperar aplicativos afetados e dados corrompidos. Desse modo, ele preserva a integridade das informações e a funcionalidade dos serviços, estabelecendo assim condições mais seguras para compartilhar, armazenar e manusear dados.

Compartilhe este artigo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Confira os próximos assuntos

Como corrigir as vulnerabilidades dos sistemas

A avaliação da vulnerabilidade e o gerenciamento de patches são partes importantes da estratégia de segurança cibernética, que envolve um processo proativo de proteção em várias camadas. Ao registrar novas máquinas na rede, os sistemas precisam ser verificados quanto a quaisquer falhas de segurança conhecidas e corrigidos quando possível.  Conheça mais detalhes no artigo.