Falta mão de obra qualificada no setor de TI no Brasil? Veja aqui!

De acordo com dados revelados pela Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), até 2024 teremos uma demanda nacional de 420 mil vagas abertas no setor de TI no Brasil.

No entanto, ainda segundo a Brasscom, apenas 46 mil pessoas, por ano, formam-se em áreas com habilidades digitais, o que mostra uma lacuna preocupante em torno da ocupação desses empregos, pois falta a tão falada mão de obra qualificada.

A fim de apresentar possíveis soluções e melhorar a sua política de segurança da informação, trouxemos um panorama consciente do setor de TI no Brasil. Confira!

Por que falta mão de obra qualificada no setor de TI no Brasil?

A princípio, devemos observar uma grave falta de estrutura no sistema educacional brasileiro, desde o seu ensino básico até o ensino superior, levando em consideração que o estudo de tecnologia não acompanha a realidade do mercado. As faculdades, por exemplo, não conseguem garantir o conhecimento técnico necessário para que esses futuros colaboradores desempenhem um bom papel, pois o conteúdo é defasado.

Há também a questão cultural da falta de interesse de muitas pessoas por áreas tecnológicas, alegando ser algo complexo e de difícil assimilação, o que colabora para o gap entre vagas ofertadas e o número de candidatos. Vale ressaltar também que quando existe o apetite por preencher esses cargos, vemos que há uma disparidade de gênero e falta de diversidade, tornando o ambiente de TI ainda mais conservador.

Por mais que exista um bom investimento em tecnologia, e isso reflete diretamente na economia, especialmente no mercado de capitais, sem mudanças de paradigmas e fomento de uma cultura tecnológica, torna-se difícil ocupar esse espaço disponível. A especificidade é algo muito importante em setores desse tipo, sendo que generalistas acabam sendo apenas uma extensão do “jeitinho brasileiro”.

Quais são as consequências disso para as empresas?

Na terceira lei de Isaac Newton temos que “para toda ação há sempre uma reação oposta e de igual intensidade”, portanto, analisando os pontos abordados anteriormente, é natural que as consequências não sejam tão positivas em relação às ações tomadas, certo? Para exemplificarmos isso melhor, veja abaixo quais são os possíveis prejuízos que podem ocorrer para as empresas:

Maior exposição aos riscos digitais

Com menos profissionais capacitados no setor de TI no Brasil, abre-se uma lacuna considerável para que cibercriminosos se aproveitem das vulnerabilidades das empresas e pratiquem atos de engenharia social. Sendo assim, o setor fica mais exposto aos riscos digitais, pois não há mão de obra especializada em mitigar ataques e assegurar que os dados estejam seguros de fato.

Perda de tempo considerável

Imagine que ocorre um problema sério nos servidores e a sua empresa não disponha de uma equipe que dê conta do recado, culminando em máquinas paradas e colaboradores impacientes. A falta de mão de obra gera uma perda de tempo considerável, pois não há um planejamento preventivo e a manutenção corretiva pode ser muito superficial, de forma a aplicar o curativo, mas sem estancar o sangramento.

Prejuízo no orçamento anual

Logicamente que sem profissionais capacitados tanto para resolver as principais questões no ambiente de TI como para preservar a segurança da companhia, o prejuízo financeiro pode ser grande e deixar a contabilidade em apuros. Informações expostas por decisões precipitadas, por exemplo, podem ocasionar também o descumprimento da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e se desdobrar em processos judiciais.

Como lidar com a falta de mão de obra qualificada?

Sabendo de todos esses aspectos, fica então aquele questionamento que martela a mente dos gestores: “afinal, como modificar esse cenário da falta de mão de obra qualificada?”. Pensando nisso, apresentamos abaixo algumas das soluções mais plausíveis para redesenhar o setor de TI no Brasil, numa visão de curto, médio e longo prazo.

Invista em educação corporativa

Para acompanhar o desempenho da sua equipe de TI e perceber bons resultados, mais do que nunca é preciso desenvolver uma educação corporativa, ou seja, explorar cursos específicos da área para aperfeiçoar o trabalho dos seus colaboradores. O diploma universitário é importante, mas só a vivência nas empresas trará a experiência necessária para lidar com as mais variadas situações.

Tendo isso em vista, pode-se considerar a implementação de cursos específicos sobre Business Intelligence, gestão de projetos, inteligência artificial, programação, suporte, prevenção de ataques virtuais, usabilidade, entre outros conceitos. Quando você prepara o funcionário para desempenhar melhor as funções que exerce, a chance de construir um ambiente organizado e competente é muito maior.

Fomente projetos de tecnologia

As empresas devem pensar não só na importância que o negócio tem para os seus acionistas, mas também colocar em pauta os possíveis benefícios que podem causar para a comunidade na qual estão inseridas. Partindo desse ponto, patrocinar projetos de tecnologia em escolas e universidades, por exemplo, é uma ótima forma de descobrir novos talentos e reforçar o time com pessoas que realmente se interessem pela área.

É preciso que a cultura de inovação seja expansiva na empresa, de modo que os colaboradores se sintam seguros em dar opiniões e participar de projetos que se tornem benéficos para o bom andamento do negócio. Possibilitar o trabalho remoto, utilizar a virtualização de servidores e criar uma estrutura colaborativa também são aspectos que devem ser considerados.

Faça parcerias estratégicas

Para fazer a empresa progredir e alcançar o sucesso, dependemos de muitas pessoas nesse percurso e as parcerias devem ser valorizadas constantemente, pois, sem elas, ficaria difícil lidar com as demandas do setor. Tão relevante quanto apoiar bons projetos, sem dúvida é construir uma relação sólida com possíveis investidores e instituições capazes de alavancar o seu ambiente de TI.

É fundamental estabelecer boas parcerias que possam contribuir para melhorar o desempenho de seus profissionais, ajudando na antecipação de possíveis problemas e que permitam que você possa se concentrar em outras áreas também. Empresas que oferecem serviços gerenciados, por exemplo, podem maximizar a produtividade, solucionar o problema de mão de obra, manter o ambiente protegido e dar apoio ao planejamento estratégico.

Em resumo, a falta de profissionais capacitados no setor de TI no Brasil pode ser remediada com ações pontuais para melhorar a educação, tornar o ambiente inclusivo e mostrar que a área de tecnologia reserva excelentes oportunidades financeiras.

Se você gostou do texto e quer ficar por dentro de todas as novidades em Segurança da Informação, então aproveite e se inscreva em nossa newsletter agora mesmo!

Compartilhe este artigo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Confira os próximos assuntos

O uso do PIX para fraudes

O PIX ainda nem foi lançado, mas os cibercriminosos já estão utilizando o cadastro prévio para roubar informações. Entenda como funciona e saiba prevenir seus colaboradores.