Como disponibilizar uma infraestrutura segura para o Home Office

Por conta da pandemia de Coronavírus no mundo, alguns países têm decretado quarentena compulsória, e, desta maneira, a maioria das companhias têm adotado o trabalho de casa, a fim de resguardar a vida de seus colaboradores, fornecedores e clientes.

Sabemos que muitas empresas, principalmente as pequenas, tem dúvidas sobre como adotar o home office. Nossa ideia aqui é compartilhar como foi a nossa própria experiência, de modo que esse artigo possa ajudá-los a tornar essa migração mais simples e fácil. Vamos lá!

A NECESSIDADE

Apesar da AIM7 ser uma prestadora de serviços para a área de tecnologia da informação focada em segurança, na última semana enfrentamos desafios que precisaram ser superados em um curto espaço de tempo. Ao mesmo tempo que nos preparávamos para operar home office, não podíamos deixar de suprir as demandas internas e dos nossos clientes, principalmente aqueles para os quais somos provedores de serviços gerenciados (tais como firewall, backup, antivírus etc.).

ESTRUTURANDO A OPERAÇÃO

Já dispúnhamos de algumas vantagens que facilitaram a adoção do home office. Nossa solução de telefonia é VoIP e todo o nosso parque de máquinas é composto por notebooks. Uma outra vantagem é que parte da nossa infraestrutura já está na nuvem.
Sendo assim, nos organizamos para criar um passo a passo para a boa execução das tarefas, que listamos abaixo:

  1. Crie uma lista do que é fundamental para cada colaborador conseguir exercer suas funções de forma remota. Procure separar por grupo de usuários as necessidades gerais, tais como pastas e arquivos da rede etc., pois geralmente os colaboradores de um mesmo departamento utilizam os mesmos recursos.
  2. Defina quais são os serviços essenciais que não podem parar de funcionar e esteja preparado para adaptar algumas coisas.
  3. Verifique se todos os softwares que precisarão ser utilizados têm licenças válidas para não ser pego de surpresa no meio da quarentena. Se for o caso, adote soluções freeware, mas não use produtos pirata que podem causar problemas futuros.
  4. Teste, teste, teste muito, todos os recursos e a conectividade remota.
  5. Treine todos os colaboradores nas ferramentas colaborativas e de acesso remoto, para que os problemas sejam mínimos no momento de estabelecer a operação remota.

A EXECUÇÃO

De posse desta lista, definimos que era essencial para nós: e-mail, sistema CRM, telefonia, servidor de arquivos, manter a comunicação entre os colaboradores, manter o sistema de atendimento aos nossos clientes, e, é claro, manter a segurança dos colaboradores e arquivos contra as ameaças cibernéticas.

TELEFONIA

Mesmo sendo VoIP, foi necessário acionar nosso prestador de serviços para fazer alguns ajustes no nosso PABX.
Dica: acione seus parceiros de serviço o quanto antes, porque nessas emergências pode ter certeza que eles serão requisitados pela maioria dos clientes.

Nas máquinas dos colaboradores foi adotado um software gratuito que substitui o aparelho telefônico.

Nessa etapa, realizamos os 1os testes remotos com um dos nossos colaboradores já operando de casa.

NOTEBOOKS

Fizemos apenas alguns ajustes, habilitando o filtro de conteúdo e criptografamos o disco, utilizando nossa solução de DLP que é integrada ao BitLocker da Microsoft, evitando problemas caso haja um eventual roubo ou perda do notebook. Essa solução não havia sido testada previamente, mas funcionou muito bem, além de ser fácil de implementar.

E-MAIL

Como já usamos solução em nuvem, não foi necessário realizar nenhuma configuração extra.

VPN (a cereja do bolo)

Para tudo isso funcionar, é necessário que o computador que ficará home office se comunique com os recursos internos da sua empresa de forma segura. Dessa forma, é necessário utilizar uma VPN (virtual private network). Existem algumas soluções no mercado específicas para esse fim, mas quase sempre o firewall de borda já dispõe desse recurso. Não tivemos problemas, pois já fazemos uso desse recurso constantemente. Nessa fase, só foi necessário configurá-la nas máquinas de alguns usuários. Uma vez a conexão estabelecida, você determina através de regras no firewall o que cada um pode ou não acessar.

Aqui, realizamos mais alguns testes de conectividade, filtragem de conteúdo, de aplicativos e criptografia de disco.

REUNIÕES VIRTUAIS

Para manter a comunicação interna entre os colaboradores e a agenda de reuniões com clientes e parceiros, tínhamos algumas opções de soluções e acabamos adotando o Microsoft Teams, que será gratuito por 60 dias devido à quarentena mundial. A instalação e configuração foram tranquilas e a solução, tanto o chat como a videoconferência, são fáceis de usar.

RETA FINAL

Antes de liberar a equipe para o home office é importante que sejam dados treinamentos nas ferramentas, ensinar sobre a conexão via VPN e esclarecer todas as dúvidas do seu pessoal.

TRABALHANDO NO SOSSEGO DO NOSSO LAR…

Com todas essas ações realizadas, conseguimos disponibilizar a operação home office a todos os colaboradores, de modo que nossos departamentos consigam exercer suas funções sem perdas significantes.

CONCLUSÃO

Esperamos que esse texto tenha ajudado a tirar algumas dúvidas. Caso seja necessário, entre em contato conosco para esclarecer algum outro ponto ou contratar algum dos nossos serviços.

Compartilhe este artigo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Confira os próximos assuntos

O uso do PIX para fraudes

O PIX ainda nem foi lançado, mas os cibercriminosos já estão utilizando o cadastro prévio para roubar informações. Entenda como funciona e saiba prevenir seus colaboradores.