O (não tão) novo normal dos cibercriminosos

Com a necessidade das empresas em ofertar serviços de forma cada vez mais remotas e digitais, o número de ataques cibernéticos alcançou índices alarmantes e, em muitos casos, até irreversíveis. Só no primeiro semestre de 2020, por conta dos efeitos da pandemia do COVID-19, foram recebidas pela Axur mais de 37 mil denúncias de fraudes e páginas falsas sobre a crise na saúde mundial.

Durante a pandemia os cibercriminosos ganharam ainda mais força

Com o aumento do trabalho remoto e o amplo isolamento social, as ferramentas digitais foram encaradas como solução, entretenimento e informação, mas também como um risco próximo e bastante rotineiro. Pequenas empresas e pessoas físicas se tornaram um alvo perfeito para os cibercriminosos.

No Brasil, só no primeiro trimestre de 2020, vivenciamos um aumento de 80,7% nos casos de phishing.

Diante da frequência das violações e da agilidade dos vazamentos de dados, corporações tiveram que aderir a novos protocolos de segurança cibernética. Com seus funcionários em home office, o nível de segurança da informação dessas empresas precisou ser urgentemente repensado, reforçado e aprimorado.

Um estudo do Global Evolving Workforce (Força de Trabalho em Evolução), patrocinado pelas empresas Dell e Intel, mostrou que 57% dos colaboradores em home office dão prioridade ao uso de e-mail.

Investir em cibersegurança é também munir o e-mail corporativo de um esquema de proteção avançado. A implantação de recursos como criptografia, por exemplo, tem por finalidade codificar eventos e dados, resguardar a confidencialidade desses documentos e manter a empresa livre de violações. A autenticação em duas etapas, também conhecida como 2FA, é outra medida de segurança avançada, programada para testar a legitimidade do usuário e de sua credencial. Essas duas soluções são caracterizadas como recursos ideais para esse nosso novo momento.

Nesses novos tempos, como lidar com os velhos e novos ataques digitais?

O antispam se viu obrigado a sofisticar seu padrão de detecção e hoje é critério básico para a segurança empresarial e pessoal, visto o aumento exponencial de ataques do tipo “phishing”. Aplicações especializadas em segurança de e-mail precisaram implantar camadas robustas de proteção, incluindo criptografia, elementos de DLP, verificação em etapas, monitoramento de eventos e codificação de armazenamento ou compartilhamento.

Utilizar tecnologias cibernéticas e praticar uma cultura de capacitação sobre comportamentos preventivos, são métodos necessários para promover uma cibersegurança contínua, tanto em condições remotas quanto fixas e tradicionais.

Este perfil de acompanhamento inteligente e digital atua como precaução programada e preparada para corrigir qualquer potencial de violação, erro ou vazamento.

Estamos vivendo um cenário que não dispensa um plano de segurança ativo, moderno e mensurável. Uma credencial violada, um conteúdo vazado equivocadamente ou um ataque, por menor que seja, podem impactar empresas inteiras e colocar a continuidade do negócio em risco.

Não veja a insegurança digital como normal ou comum

É arriscado intitular a fragilidade da segurança digital como algo comum ou socialmente normal. Na verdade, a garantia de proteção, em qualquer ambiente ou realidade, é que deve ser encarada como habitual e proporcionada com normalidade. Empresas e clientes dependem da integridade dos seus dados, por isso precisam e esperam receber uma segurança integral.

A pandemia em questão só enfatizou o grau da importância que a securidade dos dados carrega. Sim, devemos revitalizar as tecnologias operacionais e recorrer ao que de melhor o mercado oferece em termos de cibersegurança. Não apenas para ganhar notoriedade comercial, mas, principalmente, para respeitar a confiança dos clientes ao nos entregar seus dados.


 

Compartilhe este artigo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Confira os próximos assuntos

Aumento explosivo de infecções por Ransomware

Ransomware já é uma grande ameaça para os dados corporativos, e a demanda da diversidade de ataques não para de crescer. Entenda como ele ataca, como se proteger e quais ferramentas usar para ajudar.