O uso do PIX para fraudes

Nas últimas semanas começaram as discussões sobre o lançamento do PIX, que ocorrerá no próximo dia 16 de novembro . As empresas que trabalham com Tecnologia da Informação já estavam atentas a essa novidade e certamente possuem uma opinião formada sobre a ferramenta.

Porém, após a comunicação oficial de que os bancos iriam adotar esse sistema, em apenas 24h foram encontrados mais de 30 sites falsos que utilizavam a palavra “PIX” no seu endereço, afim de enganar os consumidores e roubar seus dados. Em meio a essa situação, empresas de TI e agências bancárias tomaram medidas de cautela para que seus clientes não fossem enganados.

Essa armadilha é uma técnica antiga na internet, que ainda faz muitas vítimas, principalmente entre o público que não possui tantos conhecimentos sobre tecnologia. Porém, empresários que trabalham nesse ramo devem oferecer meios que evitem essa problemática entre os consumidores e seus colaboradores.

O que é PIX?

Como todos já sabem, o PIX é uma grande aposta para o ano de 2020. Esta é uma ferramenta criada pelo Banco Central para realizar transferências bancárias. Como o TED e DOC, o PIX será a terceira opção, considerada a mais rápida entre todos.

Uma movimentação de dinheiro entre contas bancárias, que poderia levar até 24 horas em casos de transferências entre diferentes bancos, agora acontece em apenas 10 segundos se você utilizar esse novo sistema. Ou seja, é uma melhoria para quem utiliza principalmente os bancos digitais, e um avanço para o mercado de tecnologia da informação.

É importante destacar que essa ferramenta somente estará disponível a partir do dia 16 de novembro de 2020, mas desde agora já estão sendo realizados os cadastros para o seu uso.

 

Ou seja, é de suma importância que as empresas avisem aos seus consumidores e colaboradores que esse tipo de serviço ainda não está disponível e que qualquer movimentação semelhante trata-se de tentativa de golpe.

Fraudes do PIX: como ocorrem?

Em meio a isso, ressurge um problema antigo da internet: as fraudes e golpes em sites e sistemas. A quantidade de endereços duvidosos que foram criados após anúncio do PIX assusta a todos, já que eles aparecem principalmente nas primeiras páginas de pesquisa do Google.

Muitas pessoas acabam caindo nas mãos de cibercriminosos por meio dessas páginas, além de outras maneiras através das quais eles aplicam golpes contra os usuários. As empresas devem estar atentas principalmente às duas principais modalidades de ataque:

Phishing

O phishing é uma técnica usada por criminosos para roubar dados de usuários na internet. Por meio dessas informações é possível clonar cartões, utilizar documentos para realizar compras, entre muitos outros. As pessoas que se cadastram em sites falsos podem cair nessa armadilha.

O phishing consegue informações através do que é coletado em sites falsos, e-mails, SMS etc. Mesmo que não pareça ameaçador logo de início para o consumidor do banco digital, os cibercriminosos podem guardar as informações do mesmo e utilizá-las no futuro.

Neste sentido, faz-se necessário a criação de disparos de e-mail que avisem sobre possíveis roubos de dados na internet, que utilizam principalmente o cadastro do consumidor no PIX como fonte de crimes pela web.

Malware instalado na máquina

Utilizando-se da mesma técnica de phishing, os cibercriminosos podem induzir os usuários a baixarem aplicativos ou documentos, que transportam malwares para  infectar o computador

Por isso, é essencial que as empresas informem seus funcionários sobre estas fraudes e possíveis ataques, uma vez que a falta de informação pode causar danos e roubos de dados tanto pessoais como corporativos.

Como evitar a fraude do PIX?

Apesar das empresas de tecnologia oferecerem ferramentas de segurança otimizadas para os usuários, infelizmente muitos caem nas mãos de criminosos pela falta de informação sobre determinados sistemas. Com o PIX está ocorrendo isso, como também aconteceu recentemente com a criação do aplicativo Caixa Tem, que tinha o objetivo de fornecer o Auxílio Emergencial durante a pandemia.

Para acabar com essa situação, os empresários devem focar não somente em ferramentas de segurança altamente tecnológicas, mas também em informações básicas, que indiquem os sites oficiais de cadastro desse sistema e alertas sobre possíveis fraudes e roubos de dados.

O disparo de e-mails que falem sobre os riscos de se inscrever em endereços falsos deve ser primordial. Além disso, webinars, lives e demais interações fazem parte de uma política de informação para os colaboradores da empresa. Levar o entendimento sobre os cibercriminosos e sua atuação é a maior ferramenta para acabar com essa prática.

A melhor defesa é a prevenção

O PIX é uma tecnologia muito interessante para os bancos e usuários do sistema bancário como um todo. Contudo, o número de cibercriminosos que cometem delitos na internet está cada vez maior, sendo necessário redobrar os cuidados com a segurança dos usuários que navegam na internet.

Por isso, invista sempre no compartilhamento de informação com os funcionários, seja através de e-mails, conteúdos em intranet, avisos afixados em locais de muito tráfego, reuniões gerais etc. Mesmo que os especialistas de TI considerem isto um problema comum, na vida de um usuário essa situação pode ser uma grande dor de cabeça.


 

Compartilhe este artigo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Confira os próximos assuntos

Aumento explosivo de infecções por Ransomware

Ransomware já é uma grande ameaça para os dados corporativos, e a demanda da diversidade de ataques não para de crescer. Entenda como ele ataca, como se proteger e quais ferramentas usar para ajudar.