Software Open Source é seguro para as empresas?

Vamos supor que você tenha que gerenciar algo em torno de 10.000 computadores na empresa, mas não gostaria de lidar com muitas burocracias ou preços exorbitantes de licenças. Já considerou a utilização de um software open source para resolver isso?

Quando se fala na instalação de softwares, logo pensamos naqueles mais conhecidos em que é preciso dispor do pagamento da licença para desfrutar do item, gerando limitações quanto ao conhecimento por trás da criação. Só que existe uma forte tendência das empresas em utilizarem o que se chama de software livre.

A seguir, veremos o que significa esse conceito e como ele pode contribuir para melhorar o desempenho da equipe de TI. Prossiga na leitura e confira!

O que é um software open source?

Em tradução literal, quando se fala em um software open source, significa que você terá acesso a um programa de código aberto, disponível para download para qualquer pessoa. É uma linha de raciocínio pautada em um ambiente de cooperação entre desenvolvedores e quebra de um modelo engessado de burocracias, que atravancava muitos processos produtivos.

Inclusive, dependendo do tipo de licença disponível, torna-se possível criar códigos a partir da base ofertada e, com isso, proporcionar um trabalho colaborativo para que mais pessoas possam se beneficiar. Entretanto, devemos frisar que existe uma singela diferença entre os conceitos de código aberto e gratuito, isto é, ter a liberdade de mexer no código não necessariamente faz com que o programa seja grátis.

Um bom exemplo é a plataforma WordPress, que deixa os usuários mexerem nos códigos dos temas à vontade, só que para colocar o site no ar, de forma profissional, é preciso ter uma hospedagem contratada. Vale lembrar que existem outras companhias que também se utilizam do método open source, tais como Firefox, Gimp, LibreOffice, VLC e VirtualBox — para virtualização de servidores.

Quais são as vantagens dos softwares de código aberto?

Pensando em projetos específicos, a utilização de um software de código aberto pode proporcionar grandes vantagens para as equipes e fazer com que a empresa tenha um bom desempenho em vários setores. Levando isso em conta, trouxemos abaixo alguns dos principais benefícios que você e seus colaboradores podem ter com a tecnologia open source.

Customização

Mediante uma boa programação, pode-se customizar o software de acordo com as demandas da empresa, respeitando a identidade visual, gerando valor e construindo uma marca mais sólida. Companhias como Samsung, Motorola e LG, por exemplo, aproveitam do projeto de código aberto do Android para adaptarem seus aparelhos e, com isso, apresentarem smartphones que atendam aos interesses do seu público-alvo.

Custo-benefício

Quando mexe positivamente no orçamento, sem dúvida que os gestores adoram, afinal, nem sempre é possível desembolsar enormes quantias para garantir um software proprietário e esperar a atualização das licenças, não é mesmo? O open source permite que você faça escolhas e opte por programas que entregam uma boa qualidade, mas em condições bem mais acessíveis que grandes players do mercado.

Antipirataria

Ter um software que permite visualizar e customizar o código também inibe a popular “pirataria”, pois não há necessidade de buscar senhas “crackeadas” de programas famosos como os pacotes Office e Adobe. Isso afasta a chance de cibercriminosos se aproveitarem do desespero de algumas empresas e das já conhecidas vulnerabilidades que soluções piratas trazem embarcadas em si, minimizando assim um possível ataque ransomware.

Gestão de tempo

Outro fator que também favorece bastante a utilização do código aberto é a questão do tempo, pois imagina o serviço árduo de se preocupar com milhares de licenças para dar conta do número de máquinas que dispõe. A mudança de paradigmas serve para afastar processos burocráticos desnecessários, no intuito de melhorar a produtividade dos colaboradores e minimizar possíveis problemas de manutenção.

Independência

Contratar softwares fechados faz com que você tenha que negociar de forma exclusiva com uma empresa detentora dos direitos. Em contrapartida, o código aberto permite a liberdade de fazer as modificações que julgar importantes.

Esses softwares oferecem risco à segurança?

Mesmo que exista um arsenal de vantagens em torno de programas open source, sempre ficamos com aquela “pulga atrás da orelha” no que se refere à proteção de dados, até mesmo para respeitar a política de segurança da informação adotada. Como esses softwares livres são mantidos por grandes comunidades de usuários, rotineiramente eles estão focados em corrigir falhas de segurança. 

Pessoas de todo o mundo conseguem debater e encontrar soluções para possíveis ameaças ao software, tornando-o cada vez mais completo e cauteloso contra vulnerabilidades. Por isso, o fato de ser open source, não significa que esses programas tenham facilidade em ser infectados, pois as atualizações são devidamente testadas e auditadas por equipes de extrema competência.

Todavia, o calcanhar de Aquiles de muitos desses programas é não contar com atualizações automáticas, o que pode levar à acomodação de certos gestores e fazer com que esses softwares se tornem obsoletos. A falta de planejamento estratégico em relação a isso pode proporcionar grandes problemas quanto à segurança de dados, de modo que os hackers consigam explorar melhor os códigos e suas vulnerabilidades já conhecidas. 

Qual é o legado que fica quanto ao uso do open source?

A democratização da internet e a procura por novas soluções tecnológicas só aumentam, afinal, as empresas estão mais digitais e os consumidores usufruem de tudo isso, de modo que ambos estejam inseridos em um mesmo ecossistema. Em tempos passados, o software livre era tido como sinônimo de algo precário que não facilitava a vida, seja de programadores, seja de usuários finais.

Porém, esse conceito foi mudando gradativamente e muitos softwares já “conversam” de maneira eficiente com licenças fechadas, possibilitando salvar arquivos em vários tipos de extensões. O legado percebido, até mesmo vislumbrando as mudanças que a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) trará, é que o open source é uma tendência viva, e não é à toa que os governos de vários países já seguem essa filosofia há tempos. 

Por fim, antes de você pensar em utilizar um software open source em sua empresa, lembre-se de conhecer os passos necessários à implementação, verificar a integração com outras plataformas, observar possíveis atualizações e descobrir se atende às suas demandas.Caso precise de serviços gerenciados e soluções que tragam um verdadeiro alívio em sua gestão de TI, não se acanhe e conte com a consultoria da AIM7 agora mesmo!

Compartilhe este artigo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Confira os próximos assuntos

O uso do PIX para fraudes

O PIX ainda nem foi lançado, mas os cibercriminosos já estão utilizando o cadastro prévio para roubar informações. Entenda como funciona e saiba prevenir seus colaboradores.