Veja os 7 tipos de backup mais comuns para utilizar na empresa!

Você já passou pelo cenário de lidar com malwares, ransomwares, falhas sistêmicas e perder diversos dados importantíssimos? Se tivesse uma solução de backup isso podia ter sido evitado 

Nem sempre as pequenas e médias empresas lembram disso, mas há vários tipos de backup que ajudam na gestão das informações.

A realização de backups é algo fundamental para que não se percam informações estratégicas que podem fazer a diferença no negócio. Afinal, qualquer descuido nessa área pode significar a diminuição de credibilidade e, consequentemente, prejuízos financeiros.

Neste artigo, para que possa se aperfeiçoar no assunto,acompanhe a leitura e veja como funcionam os 7 tipos de backups mais comuns do mundo.

1. Local

Basicamente, o backup local armazenará os arquivos de uma maneira que eles estejam sempre à mão do usuário, ou seja, em um dispositivo físico ou, muitas vezes, em um segundo disco rígido interno.

Servem para proteger de possíveis erros e daquelas exclusões acidentais de arquivos, pois, pela proximidade do backup, fica muito mais simples recuperar os dados que se precisa.

No Windows é possível realizar esse tipo de armazenamento sem quaisquer dificuldades. 

O aplicativo de mensagens WhatsApp, bem como outros apps utilizados em celulares, também tem seu backup feito de forma automática para facilitar ao usuário a restauração dos dados prévios em caso de troca de aparelho. 

2. Incremental

É considerado o “papa-léguas dos backups”, sendo que sua rapidez se dá pelo fato de copiar apenas as últimas alterações do backup completo mais recente.

Esse processo faz com que a exigência de espaço de armazenamento seja bem menor, o que não deixa a rede lenta para realizar outras operações de tão ou mais importância na rotina empresarial.

Costuma sempre acompanhar um backup completo, pois supre as deficiências desse para corrigir pequenas modificações e copiar menos dados, sem comprometer o tempo de restauração.

Além disso, existe também a versão contínua do backup incremental, que consiste em uma automatização do processo, a fim de evitar a procura de conjuntos de backups que necessitam de recuperação.

3. Externo

Para minimizar quaisquer prejuízos aos dados armazenados localmente, um dos tipos de backups que mais se utiliza é o externo, uma vez que é muito simples o procedimento de guardar as informações desejáveis.

Pode-se salvar as informações em um HD externo, por exemplo, de maneira que você possa levar esse dispositivo para um local seguro, prevenindo-se contra roubos, incêndios, inundações e outros desastres.

Com isso, você preserva os seus investimentos em CAPEX, que são ativos importantes para o bom andamento da empresa e expansão dos negócios.

Os backups remotos também são uma forma de backup externo bastante utilizada já que podem ser realizados por meio de acesso remoto ou backups online.

4. Espelhado

Também chamado de Mirror Backup, o espelhamento tem a incumbência de desenvolver uma cópia legítima dos dados de origem, sendo que quando esses dados são excluídos, logo o segundo também segue a mesma linha de raciocínio.

O armazenamento e a recuperação tendem a ser tão rápidos quanto são  no incremental, porém, o risco de perder dados importantes nesse processo é alto. Por quê?

Porque na prática, há o espelhamento do disco rígido do computador para que sejam efetuadas as duplicações, mas é preciso ter cuidado com esse procedimento, afinal, caso apague um arquivo importante, naturalmente ele também sumirá na réplica.

À medida que aumentamos sistemas de bancos de dados, a probabilidade de uma falha em algum dispositivo de backup é grande, por isso, o espelhamento é relevante.

5. Em nuvem

Levando em consideração que a tecnologia já alcançou patamares inimagináveis nesses últimos tempos, claro que não poderíamos deixar de mencionar o armazenamento em nuvem.

De maneira geral, diz respeito a um backup que não requer interação humana para instalar qualquer dispositivo, sendo que a configuração automática facilita muito o processo de guardar dados importantes.

Em sistemas de rede que envolvam, por exemplo, diversas localidades físicas diferentes (matriz e filiais separadas por grandes distâncias), a utilização desse tipo de backup  é muito comum, já que permite concentrar todas as informações a serem salvas num único ponto comum a todas: a nuvem, facilitando o upload e o download sempre que necessário 

Contudo, serviços como Google Drive, One Drive  Dropbox, entre tantos outros, não podem ser considerados sistemas de backup, já que só se apegar um dado na origem, apaga- se nessa sistemas também.

6. Diferencial

Com uma velocidade de backup maior que a do completo e menor do que a de um incremental, esse tipo de backup é uma espécie intermediária na hora de oferecer um serviço de qualidade.

Necessariamente está atrelado ao backup completo, porque explora as últimas atualizações dele, porém não precisa de tanto espaço de disco para realizar toda a operação de armazenamento.

Você não precisa restaurar tantos arquivos no diferencial, gerando menos tráfego de rede no comparativo com o backup completo.

Todavia, um dos prejuízos desse método é que, conforme for o incremento de dados da companhia, os processos podem gerar arquivos cada vez maiores, superando o tamanho do primeiro backup realizado.

7. Completo

Por fim, mas não menos importante que os demais tipos de backup, temos o completo ou também conhecido como full, que, como o próprio nome dá a entender, armazena todos os  arquivos disponíveis e necessários

A maior questão de optar por esse tipo é a demora no processo, sendo que isso pode levar um bom tempo e ocupar um espaço considerável no disco.

Independentemente se a cópia será local, externa ou em nuvem, o backup completo fará uma reprodução de todas as informações necessárias à empresa, algo que é útil para o cumprimento da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Sabendo da demora no processo inteiro, muitas equipes de TI fazem apenas backups periódicos nesse estilo, mesclando com os demais tipos para continuar a proteção total.

Portanto, ao analisar os tipos de backup, pense sempre nos objetivos da empresa e leve em conta três fatores primordiais: o desempenho, a disponibilidade e o custo.

Se possível, busque o trabalho de uma empresa especialista em relação à proteção de dados, pois ela terá a expertise necessária na área para você obter os resultados que espera.

Se você curtiu saber um pouco melhor sobre esse assunto e quer conhecer os nossos serviços, então não perca tempo e solicite um orçamento agora mesmo!

Compartilhe este artigo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Confira os próximos assuntos

O uso do PIX para fraudes

O PIX ainda nem foi lançado, mas os cibercriminosos já estão utilizando o cadastro prévio para roubar informações. Entenda como funciona e saiba prevenir seus colaboradores.