WAF: Entenda o que é e quais são as principais vantagens

À medida que se pensa em uma política de segurança da informação, torna-se primordial verificar e mitigar ataques em possíveis brechas que a empresa deixa. Levando isso em conta, sabia que o WAF pode ser bem eficaz nesse quesito?

Os hackers não só podem invadir e roubar os dados da sua empresa por meio de e-mails maliciosos, programas infectados ou links duvidosos, como também oferecer perigo por meio do tráfego online até o seu site ou aplicativo. É um inimigo invisível que, quando menos se espera, pode golpear os alicerces da comunicação da empresa.

Sendo assim, preparamos um material especial para você conhecer melhor o papel do WAF, como ele funciona e as principais vantagens. Confira!

Afinal, o que é WAF?

O WAF, sigla de Web Application Firewall, tem o propósito de assegurar que aplicativos, sites, servidores web, plataformas de e-commerce, blogs e demais endereços http ou https estejam livres dos hackers. Basicamente, o WAF é como se fosse um goleiro experiente que sabe como o atacante adversário chuta, portanto, dispõe de um treinamento qualificado para barrar possíveis ofensivas e proteger o gol.

Tão importante quanto um firewall corporativo, o WAF faz o monitoramento do tráfego que chega até as aplicações web, cujo nível é alto quanto à capacidade de análise lógica. Destinado a companhias de todos os segmentos, esse tipo de proteção tem a destreza de verificar as requisições antes mesmo de transmiti-las, sendo até mais poderoso que outro sistema de prevenção: o IPS (Intrusion Prevention System).

Vale considerarmos também que o WAF não somente reconhece ataques conhecidos, mas também tem a expertise de detectar e, logicamente, prevenir investidas desconhecidas. Atuando entre o site e a internet, esse sistema faz o que for possível para garantir um tráfego tranquilo, evitando assim qualquer susto que ponha em risco o engajamento entre empresa e público.

Quais são as formas de implementar o WAF?

De maneira geral, o WAF tem a incumbência de ser executado por meio de três formas distintas: em uma aplicação de rede, como plugin de servidor, ou mediante ao serviço na nuvem. Evidentemente que cada item tem as suas particularidades, as quais você pode acompanhar abaixo e tirar suas conclusões sobre o que é melhor em sua gestão.

Em rede

Os WAFs baseados em rede exigem a manutenção e o armazenamento de equipamentos físicos, pois o serviço é instalado localmente no hardware. Por conta disso, a latência é minimizada, de modo que o desempenho seja mais rápido. É a solução ideal para aquelas companhias de grande porte que necessitam da proteção de um vasto número de aplicações.

Aplicação ou host

Quanto ao WAF de host, vemos que ele é integrado diretamente ao software e oferece um nível maior de personalização, utilizando-se do próprio código da aplicação. Embora apresente menos custos em comparação com o anterior, ele pode ser um tanto desafiador por demandar recursos de um servidor local e apresentar algumas complexidades na implementação.

Em nuvem

Já o WAF baseado em nuvem é uma ferramenta muito simples, pois ele oferece uma instalação pronta para o uso, além de ter um custo inicial baixo, porque os contratantes pagam mensal ou anualmente, assim como numa plataforma SaaS. Não requer tanta qualificação profissional e muito menos um hardware in loco, de maneira que as únicas obrigações da equipe são as de configurar e monitorar.

Como o WAF funciona de fato?

Sua eficiência vem do estudo apurado sobre o comportamento do usuário na internet, a identificação de fontes maliciosas e fraudulentas, o poder de  escanear possíveis vulnerabilidades, dentre outros aspectos relevantes. Com isso, o seu funcionamento exerce uma característica similar à de uma vacina, gerando anticorpos e fortalecendo o sistema imune da aplicação web.

Ele trabalha com afinco no monitoramento, filtragem e bloqueio automático de situações que representem perigo, levando em conta que cada nova investida gera um aprendizado para acrescentar o ataque em uma lista negra. Para que isso ocorra, o WAF segue uma série de parâmetros específicos que avaliam a segurança do tráfego de dados, promovendo uma confiabilidade na estrutura criada pelo ambiente de TI.

Quais são os benefícios do WAF?

Partido do princípio de que qualquer domínio pode ficar à mercê de hackers, torna-se imprescindível pensar em algo que seja eficiente no bloqueio do tráfego mal-intencionado, não é mesmo? Sendo assim, vejamos como o WAF se destaca e pode proporcionar grandes vantagens para as equipes de TI.

Segurança

Claro que o primeiro tópico não poderia ser outro senão a segurança, afinal, o WAF consegue barrar as grandes ameaças da internet, como entradas maliciosas, violações de protocolo, estratégias de engenharia social, entre outros fatores. É uma proteção em tempo real que notifica as invasões e, rapidamente, cria os devidos ajustes, para evitar quaisquer perigos que possam surgir.

Praticidade

No campo da praticidade, esse sistema é capaz de monitorar não somente as ameaças como prever possíveis falhas de programação, facilitando assim o trabalho da equipe de TI. É importante ressaltar que existe zero impacto na implantação, sendo que é muito simples definir os critérios necessários para impedir os cibercriminosos de concretizar suas ações, tornando essa barreira analítica e estratégica.

Desempenho

Levando em conta que você terá um nível de proteção especializado, lógico que o site pode apresentar uma boa estabilidade, o que favorece demais em casos de e-commerce, por exemplo. A proteção de dados dá confiança para que as pessoas utilizem sem medo uma plataforma web ou aplicativo, de modo que a empresa gere valor e autoridade para a marca consequentemente.

Economia de tráfego e infraestrutura

Ao passo que o protocolo http ou https está guarnecido por uma boa proteção, podemos observar uma economia considerável de tráfego, tendo em vista que o WAF será criterioso quanto ao que pode ou não adentrar ao seu site ou aplicativo. Os ataques afetam o desempenho e a infraestrutura, então, contar com um sistema eficiente faz com que o tempo de abertura seja mais rápido para os usuários.

Por fim, vale salientar que, seja qual for o WAF implementado, a recomendação é de que sua equipe de TI estabeleça treinamentos pontuais para administrar melhor o recurso, sendo crucial a interação de um time de desenvolvimento nessa tarefa.

Se você gostou das informações que trouxemos, então aproveite e siga as nossas páginas oficiais: estamos no Facebook, YouTube, Twitter e LinkedIn!

Compartilhe este artigo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Confira os próximos assuntos

O uso do PIX para fraudes

O PIX ainda nem foi lançado, mas os cibercriminosos já estão utilizando o cadastro prévio para roubar informações. Entenda como funciona e saiba prevenir seus colaboradores.